Andropausa e a Terapia de Reposição Hormonal

A andropausa é, em paralelo com a menopausa, uma condição de deficiência hormonal que ocorre na maioria dos homens. Ao contrário da menopausa, entretanto, a diminuição da produção de hormônio masculino que ocorre à medida que envelhecemos é muito variável de homem para homem.

Na menopausa 90% das mulheres apresentam uma brusca redução da atividade ovariana em torno dos 50 anos. As demais (10%) poderão estender a atividade ovariana por mais alguns anos. Além disso, a mulher tem fontes de estrogênio como a gordura periférica que permitem a manutenção dos níveis de estrogênio no sangue que satisfazem as necessidades basais.

No homem a redução da produção de testosterona não se faz bruscamente e sim suavemente de acordo com uma variedade de fatores que poderão acelerar ou desacelerar o fenômeno. Assim, por exemplo, nos fumantes a diminuição é acelerada enquanto que nos indivíduos que têm intensa atividade sexual ela é retardada. Os níveis normais de testosterona no homem variam de 250 ng/dl a 1200 ng/dl nos homens com idade até 30 anos.

Dos 30 aos 50 anos o limite superior baixa para cerca de 900 ng/dl e dos 50 aos 70 o limite superior baixa para cerca de 700 ng/dl. Nessa faixa de idade a média dos níveis sanguíneos de testosterona já se encontra em 400 a 500 ng/dl. A redução progressiva da testosterona é muito influenciada por doenças crônicas como Hipotireoidismo, o Diabetes e Aterosclerose.

Obviamente que a redução é tanto maior quanto mais grave o comprometimento das funções fisiológicas do indivíduo. Também é óbvio que a concomitância de dois ou mais fatores aumenta a magnitude da perda. Assim, se um homem sofre de diabetes, aterosclerose e além disso é fumante, o efeito é muito maior do que num indivíduo que sofre de apenas uma doença ou se é apenas fumante.

Uma outra condição que encurta a vida do testículo, acelerando a instalação de uma andropausa, é a existência de varicocele que pode reduzir os níveis de testosterona pela metade em um indivíduo de 30 anos de idade. A varicocele consiste no desenvolvimento de varizes nos testículos que dificultam a saída do sangue venoso deste órgão e permitem o refluxo de sangue venoso proveniente dos rins e da glândula supra-renal para dentro do testículo. Essa condição de refluxo ocorre principalmente no testículo esquerdo cuja conexão com a rede vascular renal é obrigatória.

Outras condições de deficiência testicular como a criptorquidia, que representa a não descida do testículo para o saco escrotal, ou até os testículos mal descidos, também prejudicam a sua função endócrina. Do mesmo modo a atrofia de testículo por qualquer causa também pode determinar andropausa precoce.
Há condições mais graves que determinam subdesenvolvimento das gônadas por defeitos genéticos, como a síndrome de Kilinefelter, que também podem determinar uma deficiência na produção de testosterona.

Os sintomas da andropausa podem ser sutis como simplesmente um desinteresse ou perda de desejo sexual, ou mais sérios, como a perda da potência sexual ou mais sérios ainda quando os níveis de testosterona baixam além dos limites inferiores de 250 ng/dl, neste caso, uma situação em que aparecem sintomas semelhantes à menopausa da mulher como calores(fogachos), sudorese, depressão, esquecimento ou perda de memória e ganho de peso, particularmente de gordura, acompanhada de perda da massa muscular.

Quando o indivíduo é castrado, como por exemplo quando faz prostatectomia acompanhada de orquiectomia devido a câncer, essa sintomatologia pode se manifestar de maneira mais perturbadora.

A reposição hormonal é geralmente feita na maioria dos casos com a aplicação de testosterona. Entre nós, particularmente no CEPARH a reposição é feita com implantes de testosterona colocados em número proporcional as necessidade do paciente e visam assegurar níveis sanguíneos compatíveis com a idade do paciente. A principal contra indicação da reposição hormonal é o câncer da próstata.