“Quando comecei a estudar, fiquei fascinado pela química da vida. Na época, acabava de ser descoberta a relação dos hormônios com a reprodução humana. E a reprodução é a parte mais dinâmica da vida.”

Dr. Elsimar Coutinho

Hormônios e o Fumo

Os hidrocarbonetos do fumo derivados do benzeno provocam o aparecimento, no fígado do fumante, de enzimas que funcionam como antídotos neutralizadores do efeito venoso dos referidos compostos. São enzimas do tipo CYP-450 que neutralizam igualmente o estradiol e a testosterona cuja estrutura química é semelhante à dos hidrocarbonetos que compõem o alcatrão do fumo.

Desse modo, quando feita a reposição hormonal, a dosagem dos hormônios aplicada em fumantes deve ter o seu número aumentado em cerca de 20% a fim de garantir a eficácia do tratamento. Mesmo com o aumento da dose inicial, a maioria das fumantes necessita repor os implantes hormonais antes de completar um ano de uso.