O Descontrole da Natalidade no Brasil

Editora Memorial das Letras – 1998
O descontrole da natalidade no Brasil, que reúne os principais escritos do Professor Doutor Elsimar Coutinho sobre a Reprodução Humana, Planejamento Familiar e Controle da Natalidade (bem como uma longa série de temas intercorrentes) revela a luta hercúlea, de um cientista reconhecido internacionalmente, contra aquilo que, finalmente, se reconhece hoje como o principal problema do Brasil: o descontrole da natalidade, a proliferação indiscriminada da população.

As crônicas e artigos aqui reunidos revelam, ainda, o exímio comunicador que é o Doutor Elsimar Coutinho, que maneja a palavra com maestria.

Sempre sutil ele não deixa de ser irônico e mordaz quando responde a críticas injustas ou se refere a posturas equivocadas ou mal intencionadas de seus adversários e detratores. Os escritos do Doutor Elsimar são sempre objetivos, vão ao âmago, o fulcro das questões analisadas.

Estudioso não só das questões médicas como também dos aspectos históricos, geográficos, políticos, sociais, antropológicos e culturais que regulam os destinos da espécie humana, Doutor Elsimar percebeu, desde cedo, a importância do planejamento familiar e do controle da natalidade, em última instância responsável pelo desenvolvimento dos países que optaram pelo controle, e da miséria e estagnação dos países que, como o Brasil, optaram pelo descontrole.

Para tanto, preparou-se como cientista e pôs as mãos à obra, como pioneiro na instalação de clínicas de pesquisas e serviços públicos de planejamento familiar e controle da natalidade.

Percorreu o Brasil todo e boa parte do mundo, a convite ou a serviço de governos e entidades, nacionais ou internacionais, proferindo palestras ou auxiliando na implantação e funcionamento de pesquisas, programas e serviços de planejamento familiar às populações carentes.

Em palestras, programas de rádio e televisão, artigos nos jornais e revistas, tanto no Brasil como no exterior, esse cientista peregrino da reprodução humana, sem ferir a ética e o legítimo direito das pessoas, vem denunciando, anos a fio, as catastróficas consequências da equivocada política natalista adotada pelos sucessivos governos deste país, sob os auspícios da igreja (que se mantém intransigente), das forças armadas (que já reviram sua posição natalista) e de boa parte da esquerda brasileira (particularmente os comunistas que, paradoxalmente, defendem o aborto mas são contra o controle da natalidade; exatamente ao contrário da esquerda internacional, como em Cuba, China, na ex União Soviética e seus antigos satélites, que formavam a Cortina de Ferro).

Doutor Elsimar fecha brilhantemente seu livro. No epílogo, sob o título “Um Amargo Sabor de Vitória”, ele faz um resumo de sua luta e sua obra, bem como um balanço do que se conseguiu e do que poderia ter sido o destino do Brasil se ele, Doutor Elsimar, pudesse ter sido mais “influente” para mudar os procedimentos governamentais em relação à contracepção e o controle da natalidade.

Ubirajá Mangabeira Campos
Editor